Dia Mundial da Internet Segura: como navegar com segurança

Dia Mundial da Internet Segura: como navegar com segurança

O dia 5 de fevereiro tem o objetivo de promover atividades de conscientização acerca do uso seguro e responsável da internet

A internet é um dos maiores avanços da humanidade. Encurta as distâncias, economiza o tempo e conecta as pessoas. Além disso, contribui com o compartilhamento de informação, com a construção de conhecimento e com a produção de conteúdo. Facilita a comunicação, o lazer e o entretenimento.

Esta terça-feira, 5, é o Dia Mundial da Internet Segura. Criada pela Rede Insafe, na Europa, a data tem o objetivo de envolver e unir os diferentes atores, públicos e privados, na promoção de atividades de conscientização em torno do uso seguro, ético e responsável da internet. São mais de 140 países que aderem à causa. A DataSenior não fica de fora e alerta a sociedade sobre os transtornos que a falta de cuidados pode trazer.

É preciso estar atento ao que está sendo publicado na internet, assim como ter cuidado ao acessar links desconhecidos, visto que fraudes e crimes virtuais são cada dia mais recorrentes no mundo on-line. No Brasil, cerca de 62 milhões de usuários foram vítimas desses crimes em 2017, de acordo com pesquisa feita pela Norton Symantec, empresa americana de soluções de segurança na internet.

Cerca de 4 bilhões de pessoas estão conectadas à internet, segundo o último relatório Digital in 2018, divulgado pelos serviços Hootsuite e We Are Social. O Brasil é o terceiro país que mais fica on-line – com uma média de nove horas por dia.

Crianças e Adolescentes

Estar on-line já faz parte da rotina das crianças e dos adolescentes que nasceram neste mundo digital. Segundo uma pesquisa do Comitê Gestor da Internet (CGI), cerca de 25 milhões de crianças e adolescentes no Brasil tiveram acesso à internet em 2017. Muitos, inclusive, aprendem a digitar em eletrônicos antes mesmo de escrever no papel. Porém, ainda que esses jovens tenham muitas habilidades no uso de ferramentas tecnológicas, nem todos têm consciência das responsabilidades e dos riscos que isso pode trazer.

Para o Coordenador do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude, o Promotor de Justiça João Luiz de Carvalho Botega, “é preciso supervisionar o que o filho está fazendo na internet, estabelecer um limite de uso e acompanhar a vida social dele on-line. Assim como os pais se preocupam com os amigos da vida offline da criança e do adolescente, devem se preocupar com os amigos virtuais”.

Separamos algumas orientações para que seu filho navegue de forma segura na internet:

  • Mantenha o computador em uma área comum da casa, de maneira que toda a família possa acompanhar e orientar o uso feito pelos jovens.
  • Encoraje seus filhos a relatarem atividades suspeitas ou material indevido recebido por eles. A conversa é sempre a melhor forma de ajudar.
  • Instrua as crianças a nunca divulgarem dados pessoais na internet, como endereço, telefone, e-mail, fotos e endereço da escola. Essa é a versão moderna do “Nunca fale com estranhos”.
  • Mostre aos seus filhos que o ideal é configurar o perfil para permitir que apenas amigos e familiares visualizem suas postagens, fotografias e vídeos.
  • Evite que seus filhos abram anexos de e-mails ou serviços de compartilhamento de arquivos sem que você esteja lá para aprovar e verificar seu conteúdo. Os fraudadores podem enviar vírus, pornografia e outros materiais questionáveis.
  • Ensine a eles que é preciso respeitar as pessoas tanto na internet quanto no mundo offline. Além disso, explique que seus filhos podem falar, comentar e dar a opinião deles, mas, se extrapolarem os limites da liberdade de expressão, ofendendo alguém na internet ou fora dela, podem meter-se em sérios problemas

Adultos também devem ficar atentos

Apesar de crianças e adolescentes serem o maior alvo para pessoas mal-intencionadas na internet, os adultos não estão imunes aos riscos do mundo on-line. Uma grande preocupação das pessoas com maior faixa etária são as fraudes e os crimes cibernéticos, como comprometimento de senhas pessoais, vazamento de informações confidenciais, fraudes no cartão de crédito ou em compras on-line e infecção de dispositivos por vírus.

Abaixo damos algumas dicas* para você ter seus dados mais seguros na internet:

  • Proteja suas senhas: é fundamental escolher senhas fortes que sejam diferentes para cada uma de suas contas importantes. Além disso, o indicado é usar senhas longas, compostas por números, letras e símbolos.
  • Evite o roubo de identidade: não responda se você receber um e-mail suspeito, mensagem instantânea ou página da Web pedindo suas informações pessoais ou financeiras e nunca digite sua senha se você chegou a um site por meio de um link em um e-mail ou bate-papo em que você não confia.
  • Evite golpes: apenas clique em anúncios ou compre produtos de sites seguros, analisados e confiáveis e não preencha formulários com informações pessoais em sites suspeitos. Além disso, não se esqueça de somente comprar em sites conhecidos e com vendedores confiáveis.
  • Bloqueie sua tela ou dispositivo: além de escolher boas senhas para as redes sociais, ter uma senha geral eficaz é extremamente importante para proteger seus dados e arquivos pessoais.
  • Use redes seguras: o cuidado deve ser redobrado sempre que você acessar a Web usando uma rede que não conhece ou em que não confia, como uma rede Wi-Fi pública. O provedor de serviços pode monitorar todo o tráfego em sua rede, incluindo suas informações pessoais. Se você usar o Wi-Fi em casa, certifique-se de usar uma senha para protegê-lo.

*Fonte: Internet Segura Brasil.